Martelinho de ouro: conheça sua história e como a técnica funciona

O brasileiro é um povo apaixonado por carros e qualquer pequeno arranhão ou amassado na carroceria ganha ares de tragédia para os donos mais cuidadosos. Por conta disso, não haveria lugar mais apropriado para o surgimento de uma técnica excepcional para deixar qualquer veículo tinindo: o martelinho de ouro!

Pouca gente sabe, mas esse procedimento, tão popular nos dias de hoje, surgiu quase por acaso, por meio do talento e do poder de observação de um antigo funileiro. Quer descobrir um pouco mais sobre essa curiosa história e aprender como o procedimento funciona? Então confira o conteúdo a seguir:

Quem criou o martelinho de ouro?

O martelinho de ouro foi criado por Pedro Souza Santana, um ex-funileiro brasileiro de 65 anos de idade. Sua vida profissional teve início no setor de acabamento de uma fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo. Porém, o local, apesar de fornecer muitos ensinamentos, acabou ficando pequeno para o talento de Pedro.

Ele, junto a dois outros colegas, acabou por desenvolver uma técnica que eliminava pequenos amassados, que naturalmente ocorriam durante a fabricação. Os reparos eram extremamente eficazes e preservavam a originalidade da pintura. Não tardou, portanto, para que o procedimento ganhasse o mundo e extrapolasse os portões da empresa.

Como funciona o martelinho de ouro?

Existem muitos mitos a respeito do martelinho de ouro, mas o fato é que seu funcionamento depende apenas da técnica e da execução adequada dos procedimentos. Em geral, basta aquecer a área amassada e aplicar os métodos de reparação. A ideia é recuperar o local danificado em consonância com seu formato original, sem danificar a pintura.

O profissional projeta luzes para verificar a profundidade do amassado e definir onde a força deve ser aplicada, bem como as ferramentas que deverão ser utilizadas. Além do próprio martelinho, podem entrar em cena artigos como a lixadeira angular, o soprador térmico e, logicamente a ventosa, também conhecida como chupetinha.

Apesar de ter algumas limitações, esse serviço é muito eficaz e permite restaurar curvas ou junções. Atualmente, até mesmo veículos muito caros e carros de luxo recorrem ao martelinho de ouro na hora do aperto.

O martelinho de ouro tem limitações?

Apesar de muito eficiente, existem algumas situações nas quais o martelinho de ouro não pode ser utilizado. Ele é mais indicado para pequenos estragos. Veículos que sofreram colisões muito fortes e amassados profundos, invariavelmente, precisarão de serviços mais extensos e de uma boa repintura.

Quais as principais vantagens do martelinho de ouro?

O martelinho de ouro tem muitas vantagens quando comparado a outras técnicas mais comuns de reparação. Para restaurar um amassado no capô, por exemplo, outros procedimentos incluiriam a desmontagem das peças, lixamento, repintura e muito mais tempo para a conclusão. Obviamente, isso também tem um grande impacto em termos financeiros, pois os custos ficam muito maiores.

Enquanto a repintura e a chapeação tradicional podem deixar um automóvel inativo por três ou mais dias, o martelinho de ouro pode entregar o carro novinho em questão de uma hora ou até menos!

Gostou de conhecer a história do martelinho de ouro? Então compartilhe esse artigo em suas redes sociais!

2 thoughts on “Martelinho de ouro: conheça sua história e como a técnica funciona

  1. MSRLENE Reply

    É muito interessante, Carlos, saber a origem das coisas. Estórias como essa devem sr divulgadas como forma de se prestigiar os inventores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *