4 razões para tratar seu carro como parte do seu patrimônio

O patrimônio, em termos simples, é o total de bens que uma pessoa possui. Ou seja, tudo que é de sua propriedade é o seu patrimônio. Muitas vezes, no entanto, as pessoas não incluem o carro nesta lista. Isto é um erro, pois o veículo também deve entrar no cálculo de Patrimônio Líquido Esperado (PLE).

A seguir, veja algumas das principais razões para tratar seu carro como parte de seu patrimônio!

1. Carro é um patrimônio, não um investimento

Muitas pessoas consideram a compra de um carro como um investimento, o que é um erro, pois logo que o carro é adquirido ele começa a perder valor. Com o tempo, com a intensidade do uso, há depreciação. A menos que a compra do carro seja para utilização a trabalho (um vendedor, por exemplo, que precise viajar até seus clientes), o que gera renda, um carro não pode ser considerado um investimento.

O carro é diferente do imóvel que, mesmo dependendo das condições do mercado, tende a se valorizar e, portanto, pode ser considerado, além de patrimônio, um investimento rentável. Entretanto, o carro pode entrar no cálculo de Patrimônio Líquido Esperado (PLE) que é definido pela seguinte equação: (Idade X Renda Bruta Anual) /10.

O PLE é constituído por bens ativos conquistados pelo esforço da pessoa que os possui. Ou seja, a aquisição do carro, entra nesta constituição de patrimônio.

2. Carro é um ativo de liquidez média

Investimento também supõe reserva financeira e lucro obtido a partir da venda. Carros, como sabemos, são ativos de liquidez média, pois requerem um tempo para a venda e, habitualmente, por um valor abaixo do valor pago na compra.

Por outro lado, as despesas inerentes a um carro (IPVA, manutenções, limpeza, estacionamento etc.) também acabam por diminuir o lucro na venda de um carro. É por isso que é importante prestar atenção nas taxas de inflação na hora de vender ou comprar um veículo, pois elas são os principais agentes de corrosão do patrimônio.

3. A compra de um carro geralmente se dá pelo custo de oportunidade

Como já vimos que carros não são investimentos, ou não devem ser considerados assim, é importante lembrar que o fator “custo de oportunidade” também contribui para você considerar o automóvel como um patrimônio.

Em vez de deixar o dinheiro numa poupança, rendendo uma taxa de juros baixa, muitas vezes se opta pela compra de um bem, como um automóvel. Ao localizar um excelente preço de compra, o dinheiro é empregado, ou seja, utiliza-se o custo de oportunidade.

4. Os itens básicos para manter a conservação do seu carro

Depois de se conscientizar de que seu carro deve ser considerado como parte do seu patrimônio, vamos a algumas dicas para conservação e diminuição da depreciação na hora da venda. Acompanhe!

Rodas

Um dos motivos de desvalorização de um veículo é o desgaste das rodas. O sistema de suspensão denuncia muito a forma com que o carro foi tratado pelo proprietário. Assim, o ideal é realizar um alinhamento e balanceamento a cada 10 mil quilômetros rodados (ou a cada seis meses).

Motor

Faça trocas regulares de óleo, revisões de filtro de combustível e velas do motor a cada 10 mil quilômetros rodados e realize a medição da vida útil da bateria periodicamente. Um motor em perfeito estado de funcionamento é muito importante para que o veículo não perca valor.

Pintura

A aparência do veículo também conta muito na avaliação. Por isso, procure mantê-lo sempre estacionado na sombra, lataria sem arranhões ou amassados, lave-o sempre para evitar manchas e utilize cera para manter a tintura com aparência viva. Não ignore pequenas batidas, pois elas podem desgastar a pintura. Evite exagerar nos polimentos, pois eles tornam a camada de tinta mais fina e, com o tempo, podem ocasionar a perda do brilho.

Revisões periódicas

Levar o veículo a cada seis meses para uma revisão completa, especialmente na concessionaria autorizada também garante que tudo estará em perfeitas condições. Muitas vezes, os problemas são silenciosos e, com o olhar de um profissional especializado, podem ser detectados a tempo, não agravando assim a situação.

E você, considera seu carro como parte do patrimônio? Como tem cuidado deste patrimônio? Deixe o seu comentário!

 

2 thoughts on “4 razões para tratar seu carro como parte do seu patrimônio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *